O SILÊNCIO DAS MONTANHAS

Dez anos depois de seu primeiro sucesso O caçador de pipasKhaled Hosseini volta às livrarias com o título O silêncio das montanhas (And the mountains echoed). Acabei de ler e super recomendo!

Apesar de a família continuar sendo carro-chefe para as narrativas, o terceiro romance do autor – o segundo é o best seller A cidade do sol, de 2007 – se diferencia dos outros na maneira de contar a história. Desta vez, o enredo não é centrado totalmente no Afeganistão e sua divisão exige um pouco mais do leitor, pois seus capítulos não seguem uma linearidade e são narrados por personagens diferentes, sejam eles principais ou secundários.

O livro trata dos diversos tipos de relacionamentos que se pode ter na vida. Família, amores, traições. Tudo isso para contar sobre a trajetória de dois irmãos, Pari e Abdullah, que são separados na infância e passam a vida sentindo falta um do outro. Para traçar a história, um caminho pelas pessoas que se relacionam com eles, ao longo de seis décadas e quatro países, é percorrido até o desfecho da história.

Por conta da turnê para o lançamento do livro, Hosseini infelizmente não pôde dar entrevista, mas Chandler Crawford, responsável pela agenda internacional do escritor, concedeu ao Paz, amor e lápis de cor algumas informações. Em entrevista à editora Riverhead Books, Hosseini explicou que a história de O silêncio das montanhas não surgiu de repente:

– Não houve um momento único de inspiração, mas acho que a ideia central do romance partiu do meu subconsciente. Talvez eu tenha guardado comigo a experiência que tive em 2007, quando visitei o Afeganistão com a Agência de Refugiados da ONU e ouvi das pessoas mais velhas histórias sobre como as antigas aldeias do país foram devastadas por conta dos severos invernos, que tiraram a vida de jovens e velhos e deixaram muitas pessoas doentes.

Hosseini conta que ouvia estas histórias com medo e admiração, observando cuidadosamente até onde as pessoas iam para proteger seus entes queridos, e começou a imaginar o que faria se passasse por uma situação assim. Desta forma, surgiu o enredo de um livro que fala sobre sacrifícios de famílias, inocência de crianças e superação.

Sobre o título (em inglês), o autor explica que a ideia veio de um poema de William Blake, chamado The Nurse’s Song, que termina com o verso “and all the hills echoed”. Para ilustrar a história, a palavra hills (colinas) foi substituída por mountains (montanhas) devido à natureza afegã e à presença de montanhas no romance.

Um pouco mais sobre o autor

Khaled Hosseini nasceu em Cabul, no Afeganistão, em 1965. Seu pai era diplomata no Ministério de Relações Exteriores e, por isso, mudou-se com a família para Paris, na França, em 1976. Em 1980, os Hosseini estavam prontos para voltar para sua cidade natal, mas ela tinha sofrido um golpe comunista e invasão do exército soviético. Por isso, receberam asilo político e foram morar na Califórnia, nos Estados Unidos. Lá, Khaled Hosseini formou-se biólogo e médico. Em março de 2001, começou a escrever seu primeiro livro, O caçador de pipas, publicado dois anos depois. Em 2006, foi enviado como membro da Agência de Refugiados das Nações Unidas. Inspirado por uma viagem que fez para o Afeganistão com as Nações Unidas, Hosseini criou a Fundação Khaled Hosseini (The Khaled Hosseini Foundation), uma organização sem fins lucrativos que fornece ajuda humanitária às pessoas do Afeganistão.

Serviço:

O silêncio das montanhas, Editora Globo Livros

Preço médio: R$ 39,90

Beijos,

Ligia

Anúncios

Escrito por

Jornalista por profissão, vocação e paixão. ♡

6 comentários em “O SILÊNCIO DAS MONTANHAS

  1. Oi! Gostei muito da sua descrição sobre o livro. Confesso que esperava um pouco mais, algo natural depois da expectativa criada pelos fantásticos ‘O caçador de pipas’ e ‘Cidade do sol’.

    Curiosamente, achei o ponto principal do romance – a narrativa multilinear – o mais fascinante e também o mais enfadonho de ‘O silêncio das montanhas’. Ficou cansativo e – na minha opinião – um tanto desnecessário explorar tantos personagens, o que causou até algumas pontas que não ficaram claramente amarradas.

    Khaled é magnífico, toca o coração e a alma sem ser piegas ou “forçar a barra”, e suas obras sempre nos despertam esse mergulho nas emoções mais profundas do ser humano. Em todos os livros foi assim.

    Mas dos três, eu daria a esse a medalha de bronze.

    Beijos!

  2. Oi adorei.. muito obrigado, amei a maneira que vc usou para descrever essa resenha…me fez se interessar pelo livro….mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei… se trata de um livro arrebatador…ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos…..e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história…..acesse o link da livraria cultura e digite reverso…a capa do livro é linda, ela traz o universo como parte principal.
    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s