ADOTE UM AMIGO

Quem vê um nome chique desses não desconfia de tudo o que o gatinho Felix Gasparzinho Pegasus Bartok passou. Ele foi encontrado em frente à veterinária Zoolândia, em Campos dos Goytacazes (RJ), pela veterinária da clínica, que constatou uma severa infecção em sua orelhinha que, infelizmente, estava necrosada e caiu após a limpeza. Além disso, suspeita-se que seja surdo do outro ouvido, mas estão sendo feitos testes para confirmar.  Após uma cirurgia, ficou lá para adoção. Foi aí que o médico Carlos Augusto de Souza Ribeiro o viu e contou a história para as filhas, Livia e Juliana.

– Nós estávamos doidas para adotar, mas tínhamos medo de ele não resistir. Então seria melhor ele permanecer nos cuidados da veterinária por mais um tempo – lembra Livia.

Dias mais tarde, quando foram levar os outros gatos e cachorros para vacinar, viram que o animal estava bem e o levaram para casa. A família tem outros 17 gatos – todos adotados – e dois cachorros.

– Às vezes deixam aqui em casa perguntando se o animal é nosso, pois sabem que temos muitos gatos. Cada um tem uma história e a mais recente é a do Felix, e o novo morador vai virar carioca. Como ele é especial, precisa de mais cuidado e tem que ficar em um lugar mais fechado. Em Campos a casa é grande e alguns gatos saem, então seria difícil controlar – explica a jornalista, que mora sozinha no Rio de Janeiro por conta dos estudos e que mês que vem passa a dividir o apartamento com a irmã, Juliana.

Segundo a dona, o gatinho está se recuperando bem, adora correr e brincar, e o pelo da orelhinha está crescendo. Felizmente existem pessoas que optam por adotar um animal e transformar a vida dele.

Há pouco tempo conheci o trabalho da G.A.R.R.A (Grupo de Ação, Resgate e Reabilitação Animal), quando fui à feira de adoção de animais que o grupo promove todo segundo sábado do mês no Parque dos Patins, na Lagoa, aqui no Rio.

Foi lá que Fábio Almeida, e sua mãe e irmão resolveram adotar um mascote para casa. Depois de sofrerem com a perda recente de uma dachshund de 13 anos (Buba), perceberam que era chegada a hora de levar um novo bichinho para dentro de casa. Optaram por uma vira-latinha fêmea de 2 meses e porte médio (como não tem raça definida, não dá para saber exatamente o tamanho que ela vai ficar), a Nala – o nome acabou sendo escolhido por sorteio. Nala veio para a família já com a primeira vacina e o G.A.R.R.A é obrigado a prestar o serviço de castração do animal (caso eles sejam muito pequenos, isso ocorre mais para frente).

Nala
Nala | Arquivo pessoal

Sob o lema “Educação e castração” e também com o intuito de incentivar a adoção e seguir com o trabalho de proteção dos animais, foi criado, em março de 2013, o Projeto Pró Patinhas. Atrizes como Fiorella Mattheis, Giovanna Ewbank e Thaila Ayala são parceiras. “O que eu faço é 100% por amor aos animais e ajudo da maneira que posso”, afirma Fiorella ao Paz, amor e lápis de cor.

Foto: André Nicolau
Foto: André Nicolau

O projeto, criado em Petrópolis (RJ) por pessoas amantes e protetoras dos animais. Pró Patinhas é formado pela contadora e artesã Andrea Santos, a advogada Bianca Berti, a estudante de fisioterapia Carolliny Vieira, a veterinária Florence Guedes e a analista de sistemas Verônica Mallah, que se dividem nas tarefas de fazer parcerias, acompanhar as adoções, visitar os cães nas hospedagens, fazer entrevistas com os interessados a adotar, atualizar as mídias sociais etc.

– Resgatamos animais em estado de urgência e muitas vezes emergência, como atropelamentos, cadelas no cio, filhotes abandonados, cães doentes. Depois de resgatados, começamos uma rifa ou um evento para pagarmos as despesas dos animais nas clínicas e pedimos madrinhas mensais para eles, até que enfim sejam adotados – explica Andrea.

O Pró Patinhas ainda não tem sede. Por isso, os cães resgatados e, após os cuidados veterinários necessários (especialmente castração e vacinação), ficam em hospedagens pagas e cada um tem uma madrinha, que colabora com as despesas como ração, vacinas, vermífugos e a própria hospedagem, onde ficam até serem adotados. O projeto conta com uma loja virtual onde peças de brechó, camisetas personalizadas e artesanatos são vendidos a preços acessíveis e toda a renda é revertida para os cuidados dos cães.

Quem se interessar em adotar um amigo pelo projeto Pró Patinhas pode ir à próxima feira de adoção, que ocorre uma vez por mês. Será no dia 22 de fevereiro, na loja Rospauth, em Petrópolis (Rua Coronel Veiga 1807).

Beijos,

Ligia

Anúncios

Escrito por

Jornalista por profissão, vocação e paixão. ♡

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s