UM SONHO DE ARMÁRIO

Desde pequena, Liza Kós tem mania de arrumação, sempre querendo tudo no lugar, tanto que chegou a desenvolver um Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Formou-se designer de interiores e, há 18 anos, trabalha como personal organizer. O ofício surgiu com o intuito de canalizar a obsessão de uma forma positiva: ajudando os outros a otimizar espaços e organizar melhor cada ambiente, utilizando o design de interiores para integrar o belo na arrumação.

Cerca de um ano atrás, Liza foi convidada pela editora Liga a escrever um livro com dicas para facilitar a organização dos guarda-roupas, especialmente para quem tem pouco espaço, separando as roupas e acessórios por tipo, cor e estação, por exemplo. Liza contou com exclusividade ao Paz, amor e lápis de cor como surgiu a ideia de escrever “Um sonho de armário” (R$ 32), que foi lançado ontem (21), às 18h30 na livraria Argumento. Todos os 150 exemplares que foram levados para a noite de autógrafos foram vendidos em uma hora e meia de evento.

– A dona da editora é minha cliente e ficou encantada com o meu trabalho. Eu já queria fazer um livro, mas ela que fez o sonho virar realidade. Tive uma jornalista me acompanhando, porque o que eu escrevia, apesar de ser óbvio para mim, tinha termos que para quem é leigo ficava difícil entender – lembra.

Para Liza, o primeiro passo de quem quer aprender a se organizar é tirar o excesso.

– Eu tiro roupas do meu armário de seis em seis meses, porque para entrar uma roupa nova, tem que sair alguma coisa. Meus deadlines são em Julho, quando faço aniversário, e no Natal. O que eu tiro, eu doo.

O texto vem acompanhado de ilustrações feitas pelo publicitário Lucas Naylor, de 23 anos.

– As ilustrações fizeram o maior sucesso! Quando eu recebi o livro pronto, passei para minha família, e todos perguntaram das ilustrações, em vez de falar do texto! – conta a autora, dando risada.

Lucas Naylor e Liza Kós (Foto: Mayra Nolasco)
Lucas Naylor e Liza Kós (Foto: Mayra Nolasco)

Naylor sempre teve facilidade em desenhar e gostava muito de assistir a desenhos animados. Em 2012 fez um curso de ilustração com o ilustrador Renato Alarcão.

– Eu descobri que minha pegada era realmente a ilustração porque tendo um texto de apoio dá para elaborar melhor cada ilustração, que passa a ter um pouquinho mais de valor e destaque. Na animação ou no quadrinho isso não acontece, porque as pessoas não detêm o olhar em cada um dos desenhos – explica, ressaltando que “graças a Deus existe bastante ilustração publicitária hoje em dia”, o que faz suas duas carreiras se encontrarem.

Foi o primeiro trabalho de Naylor ilustrando um livro, apesar de já ter sido procurado pela editora para outros serviços, como artes para Facebook, capas e convites para lançamentos. Naylor conta que tem um traço característico, mas que procura “encontrar alguma variante que seja mais adequada” ao projeto que está realizando:

– Eu sinto a pegada do livro, vejo como é e mando ver. Nem sempre é fácil, mas é importante se esforçar. A Liza aprovou cada uma das ilustrações para ver se era isso mesmo. Alguns desenhos voltaram e eu refiz, mas no final ela gostou muito do resultado. Inclusive, eu criei uma personagem no livro que era uma versão meio Disney dela e ela adorou, achou o máximo.

Além da Disney, Naylor tem outras referências. Os desenhos animados dos anos 90, como O laboratório de Dexter e as histórias em quadrinhos clássicas da Marvel, como o Surfista Prateado são algumas de suas inspirações.

– Alguns artistas ícones da década de 60, como Robert Crumb também exerceram influência sobre mim, mas se eu tivesse que definir minhas referências em uma palavra, seria cartoon.

Para o livro, Naylor criou duas personagens. A loirinha, que vem na capa, é uma homenagem à Liza, que “sabe-tudo”. Nas ilustrações do interior, vemos uma menininha sempre em dúvida de como arrumar as coisas. São 38 ilustrações que preenchem o guia, e cada uma levou mais ou menos uma hora de trabalho.

Ilustração: Lucas Naylor
Ilustração: Lucas Naylor

– Eu faço as ilustrações primeiro à mão, no papel. Depois, passo nanquim por cima para dar uma textura legal e, por fim, dependendo do trabalho, uso Photoshop ou Illustrator para finalizar. É aí que boto as cores, o sombreado. Eu tenho uma mesa digitalizadora, que funciona como se fosse uma caneta no computador, que me facilita bastante.

O material era enviado para a aprovação da autora ainda a lápis, porque caso tivesse algum detalhe para modificar, era só apagar e refazer. A autora e o ilustrador concordam que a presença de ilustrações neste livro era fundamental, porque facilita a visualização das dicas.

– No capítulo onde ela ensina a dobrar as roupas, por exemplo, não faria muito sentido só no texto, e com o desenho fica muito mais fácil entender, como um tutorial – explica Naylor.

Ilustração: Lucas Naylor
Ilustração: Lucas Naylor

Liza já tem um novo livro em vista, mas o tema ainda não foi definido com a editora. Quem se interessar pelo trabalho da personal organizer ou precisar de uma forcinha, pode contactá-la pelo e-mail lizarkos@gmail.com.

Beijos,

Ligia

Anúncios

Escrito por

Jornalista por profissão, vocação e paixão. ♡

2 comentários em “UM SONHO DE ARMÁRIO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s