ELES SÃO PARALÍMPICOS

Vogue e Agência África,

Sentem aqui, vamos conversar.

De acordo com o site Rio 2016, “mais de 4 mil atletas competem na primeira edição dos Jogos Paralímpicos da América do Sul. A disputa pelas vagas, iniciada em 2014, está em andamento e será finalizada pouco antes do início dos Jogos, quando será confirmada a lista oficial de atletas”.

Pelo jeito ainda não foi colocado no site a tal lista oficial, mas podemos nos basear que existem mais de mil atletas paralímpicos que poderiam estrelar sua campanha.

A intenção era dar visibilidade aos Jogos Paralímpicos mas, entendem que, colocando dois atores photoshopados com as características de dois atletas não é algo que atrai e sim que distrai? Distrai dos problemas que estes atletas tiveram de enfrentar para chegarem onde estão hoje. Distrai do quanto tiveram que batalhar e criar forças para estarem nas Paralimpíadas, alguns não pela primeira vez. Distrai do quanto estes atletas precisam de apoio. Distrai de qual será a verdadeira CARA, CORAGEM E HISTÓRIA de cada um deles.

Se o futebol feminino olímpico já sofre preconceito por conta de todo o machismo por trás, imagina o que não sofrem atletas que nem são vistos pela sociedade. Atletas que para atrair pessoal aos estádios e arenas olímpicas tem que ver os ingressos de seus jogos custando surrealmente mais barato do que os ingressos da Olimpíada que acabou de acabar.

E quanto ao slogan “Somos todos paralímpicos”: não, não somos todos paralímpicos. Não somos todos nem atletas. Eu não consigo correr sem perder o fôlego, não consigo andar de bicicleta correndo sem cair, não consigo nadar por cima d’água, não consigo acertar sequer uma cesta no basquete, não sei arremessar uma bola pra mais de um metro de distância e nem sei como joga rugby, bocha ou como conta os pontos do tênis. Prazer, eu sou aquela que era a última a ser escolhida para o time nas aulas de educação física.

Acredito que a intenção tenha sido boa, deu visibilidade (à campanha controversa, mas deu), mas grande parte de nós nunca saberá como é ter paralisia cerebral, como é não ter perna, braço ou o que quer que seja e mesmo com todos os obstáculos conseguir superar e tornar-se um verdadeiro ATLETA.

Rio 2016 não acabou. Os jogos olímpicos deixaram saudades mas temos até dia 18/09 muitos jogos para torcer e vibrar, muitos atletas por quem gritar, muita história pra gente conhecer e se emocionar.

Foto de divulgação Rio 2016/Alex Ferro

Anúncios

Escrito por

Jornalista por profissão, vocação e paixão. ♡

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s