RELACIONAMENTO ABUSIVO

Não assisti ao BBB 17. Mas, depois de tantos comentários, resolvi assistir à edição de ontem. Foi mostrado um compilado das últimas brigas entre Marcos, de 38 anos, e Emilly, de 20. Eles formam um casal dentro da casa.

Para as pessoas que estão fora da relação – tanto os outros participantes do reality que convivem com eles, quanto parte (infelizmente não é todo mundo) do público aqui fora – fica mais fácil enxergar que aquilo ali não é um relacionamento saudável, e sim um relacionamento abusivo.

No entanto, para quem vive dentro dessa relação, é muito difícil sair. Mistura sentimentos.

Uma encurralada na parede com dedo na cara seguido de um choro dizendo que “não quer perder” faz a vítima ficar mexida e balançada. Ela tenta falar. Ele a cala, fala o que quer, oprime sua companheira e sai sem ouvir o que ela tem a dizer.

Vi pessoas falando “ah, mas o Marcos fez tudo aquilo com ela e depois ela foi lá deitar com ele”: ela está apaixonada e dependente. Ela arruma desculpas para se sentir culpada pelos erros que ele cometeu. Ninguém que vive um relacionamento abusivo deseja admitir que a pessoa que se ama é abusiva ou que passou dos limites. Por isso, fecham os olhos, tapam o sol com a peneira, valorizam o choro de “quero estar com você” e os abraços, que parecem que protegem da agressão feita logo antes.

É como se a briga começasse com você tendo certeza de que está certo e terminasse pedindo desculpas. É como se você fosse tão horrível que é culpado por todas as brigas, já que o outro termina com você facilmente e quantas vezes quer. “Pra mim acabou. Não dá mais. Você não tem noção das coisas. Você destruiu o nosso relacionamento”. A pessoa duvida da própria sanidade tamanho abuso psicológico. Isso tem nome: gaslighting.

Não culpem a vítima por não conseguir sair de um relacionamento assim. E não é porque ela tem 20 anos e ele quase 40. É porque ela está apaixonada e ele abusa dela. O acusem, o culpem.

Isso tornou-se tão discutível porque está num reality show. Mas olhem ao redor, pensem em quantas pessoas vivem relacionamentos assim e não conseguem sair, têm vergonha de admitir e têm medo de terminar e nunca achar mais ninguém – afinal ele mostra que apesar de eu ser um “verme”, ele não quer se separar. A culpa nunca é da vítima.

Anúncios

Escrito por

Jornalista por profissão, vocação e paixão. ♡

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s