AHLMA LEBLON PROMOVE ENCONTRO DE SUSTENTABILIDADE

Nesta quinta-feira, 19, a Ahlma Leblon promove um encontro sobre sustentabilidade com a Tech Trash, startup carioca focada na reciclagem e reutilização de lixo eletrônico. O bate-papo, que será mediado pelo CEO da Tech Trash, Caio Miranda, conta ainda com a participação da coordenadora de conteúdo da Menos 1 Lixo, Marina Marcucci, e da idealizadora do Bota pra Girar, Fernanda Cubiaco. O evento, gratuito, é aberto ao público e tem o intuito de debater as questões ambientais no espaço urbano.

Em uma sociedade onde o brasileiro troca de celular a cada dois anos, o maior desafio para combater este volume imenso de lixo, de acordo com Caio, é a renovação do aparato legal que regulamenta toda a gestão do lixo eletrônico.

– É muito custoso e burocrático trabalhar com lixo eletrônico e nenhum dos principais players do mercado se articula de fato para que esse processo seja resolvido rapidamente. Estamos com uma legislação travada desde 2013 que deveria resolver uma série de detalhes técnicos que atravancam e dificultam todo o processo de coleta, reciclagem e reaproveitamento desses materiais. Hoje falta ao consumidor, ao meu ver, informações e serviços de qualidade para que ele tome a decisão correta e destine seu material. Sem ter opções de descarte, é muito complicado cada um fazer sua parte.

Muitas pessoas não sabem ao certo como descartar este tipo de lixo e ficam acumulando em suas casas versões ultrapassadas de celulares e outros eletrônicos, ou optam por descartar no lixo comum. Caio explica que a opção mais correta é verificar se o fabricante do seu eletrônico tem algum tipo de sistema de logística reversa disponível para seus produtos, pois ele é o principal responsável por prover a solução para esta fase pós-uso.

– Caso não encontre ou seja inviável fazer esse contato, procure um ponto de entrega voluntária mais próximo da sua casa. Se mesmo assim não houver opções, procure uma assistência técnica e se informe se é possível fazer esse descarte com eles para que sejam reaproveitadas as peças do aparelho. Podemos reaproveitar o lixo eletrônico como produto ou como matéria prima. Como produto, o processo é chamado de Recondicionamento. É indicado para aparelhos que tiverem ainda valor de mercado e possam ser consertados. Seu objetivo é reinserir esses equipamentos na mercado e dar opções para outros consumidores de fazer uso dele. Caso não seja possível o reaproveitamento como produto, o processo indicado é a Manufatura Reversa. Nela, os materiais são desmontados e separados para que não possam mais ser usados com o mesmo objetivo pelos quais foram produzidos. Normalmente essas partes separadas são destinadas a recicladores específicos de plástico, vidro, alumínio, ferro e etc – explica o CEO.

Sobre a expectativa para o evento, Caio está animado.

– Conseguimos reunir três pessoas que têm interesses e visões complementares sobre o tema Resíduos. Será uma mesa redonda bem descontraída e ao mesmo tempo recheada de conteúdo altamente qualificado de profissionais atuantes no mercado e geradores de opinião. Acredito que os espectadores vão sair de lá com um panorama bem atualizado das melhores práticas referentes ao tema e repletos de ideia para aplicar no seu dia a dia.

O movimento Menos 1 Lixo foi idealizado pela Fe Cortez, que se desafiou a viver um ano sem consumir copos descartáveis e, assim – pasmem! – economizou 1.618 copos plásticos.

– Pensando em como poderia resolver a questão, ela desenvolveu o copo do Menos 1 Lixo, que é reutilizável, retrátil, funcional, bonito e sustentável, feito de silicone. A ideia é que o copo seja um agente de transformação para que, a partir de um hábito, as pessoas repensem todo o ambiente em que vivem e a própria rotina, a fim de transformá-la cada dia mais – explica Marina.

Marina levará ao encontro questões sobre a produção de conteúdo para redes sociais sobre sustentabilidade. Para a coordenadora, o estilo de vida minimalista tudo tem a ver com sustentabilidade, uma vez que ser sustentável implica na prática do consumo consciente.

– Hoje, vivemos em uma sociedade de estímulo ao consumo desenfreado. Refletir sobre o que realmente precisamos é fundamental para que possamos desenvolver uma conscientização ambiental como um todo. É importante empoderar as pessoas mostrando que somos quem somos e não o que temos. E que podemos fazer a diferença através das nossas escolhas e do consumo consciente, ou seja, entender que o nosso impacto depende das nossas atitudes e do que consumimos. Então, ter menos e viver com menos faz muito sentido pra pauta da sustentabilidade.

Também participará da roda de conversa Fernanda Cubiaco, fundadora da Bota pra Girar, agência de mobilização e comunicação de sustentabilidade urbana. Desde 2005, a gestão de resíduos já era uma questão que a preocupava. Voluntariamente, fez um levantamento em mais de 50 prédios para ver quais tinham o sistema de coleta seletiva, porque o prédio onde morava era um exemplo e seria ótimo “botar pra girar” essa prática nos demais.

– Em 2011, depois de curada de um câncer de mama, decidi trabalhar com sustentabilidade e precisamente informação, foi quando surgiu o Bota pra Girar.

Fernanda integrou muitos movimentos, entre ONGs e associações. Desde 2012, promoveu o conceito lixo zero em forma de consultoria para inúmeros estabelecimentos de diversos segmentos da sociedade. Foi nesta jornada que surgiu a campanha Menos Canudos.

O vídeo acima mostra pesquisadores retirando um canudo plástico da narina de uma tartaruga marinha. Muitas vezes este é o destino final dos canudos que utilizamos.

– Promovendo uma reflexão em cima das práticas de cada um, conseguimos tirar do uso muitos utensílios desnecessários, desses vendidos com facilidades nesse nosso mundo moderno, que acabavam gerando muito descarte de lixo, porém o canudo….esse existe para atender  uma demanda do cliente que, em maioria, não tem ideia do impacto que esse item está causando no planeta. São descartados, segundo as associações internacionais parceiras da gente, mais de 1 bilhão por dia. E atingimos essa marca por conta de uma lei, de um intermediário, de um consumidor e de problemas com gestão de resíduos. A Campanha Por Menos Canudos Plásticos tem a missão de, no corpo a corpo com os estabelecimentos comerciais, engajar equipe para diminuir o hábito automático de servir toda e qualquer bebida com canudos. O desafio é giga. Entre bares e restaurantes aqui no Rio, são mais de 12 mil.

Fernanda acredita que eventos como o que acontecerá amanhã sirva para envolver gentilmente mais pessoas em seus propósitos.

– Temos que despertar as pessoas sobre a importância da vida em nosso planeta.

Serviço:

Talk sobre Sustentabilidade – Ahlma

Data: 19/04

Horário: 19h

Local: Ahlma Leblon

Endereço: Rua Carlos Góis, 208 – Leblon – Rio de Janeiro – RJ

 Nos vemos lá!
Anúncios

Escrito por

Jornalista por profissão, vocação e paixão. ♡

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s